Nightwalkers - 03 elijah

Download Nightwalkers - 03 elijah

Post on 05-Aug-2016

224 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

<ul><li><p>EElliijjaahh -- JJaaccqquueellyynn FFrraannkk </p><p> TTHHEE NNIIGGHHTTWWAALLKKEERRSS 33 </p><p>Disponibilizao: DHL Traduo e Formatao: Gisa </p><p>Reviso: Lu Avano Reviso Final: Preta </p><p>PPRROOJJEETTOO RREEVVIISSOORRAASS TTRRAADDUU EESS </p><p>Existem alguns sentimentos contra os que impossvel lutar... conhecido como O Guerreiro, um maestro no manejo de todo tipo de armas, um feroz soldado que jurou </p><p>proteger os seus de toda violncia. Poderoso, implacvel, desumano, Elijah sempre saiu vitorioso nas batalhas que lutou... at agora. Tendo sofrido uma emboscada pelos Nigromantes, fica abandonado meio </p><p>morto e termina sendo resgatado por uma mulher que poderia dar-lhe o golpe de graa... Siena, rainha dos Licntropos. Durante quase uma dcada, entre os licntropos e o povo de Elijah havia uma frgil paz, e no </p><p>est disposto a baixar a guarda ante sua rainha. </p></li><li><p> Mas a vontade de Siena tudo o que Elijah necessita, sua elegante e sensual natureza acorda nele uma fome que no pode negar. E agora, este guerreiro v-se consumido por uma batalha muito diferente das que est acostumado: ganhar o corao de Siena proporcionando-lhe um prazer inimaginvel. O que comea como uma sensual e excitante atrao, muito em breve termina transformando-se em uma ardente paixo, com </p><p>conseqncias que perduraro atravs dos anos para as raas de ambos. E enquanto os inimigos terminam convertendo-se em amantes inseparveis, uma ameaa comea a espreitar... uma que poderia destruir </p><p>todos eles. </p><p>So conhecidos como os Seres de Sombra, </p><p>uma antiga raa dedicada a proteger a humanidade dos Nigromantes. </p><p>Agora a vez do guerreiro mais orgulhoso de todos, </p><p>Elijah, um homem que no se ajoelha diante de nada nem ningum... </p><p>at que uma mulher acaba conseguindo. </p><p>NO HAVIA CONTROLE NESSE MOMENTO </p><p>Ela a princpio ruborizou, logo lhe percorreram calafrios. Estava aterrorizada mas </p><p>ofegante. Estava suando calor lquido e o olhando completamente alerta. A contradio a </p><p>enchia por dentro e se sentia selvagem, deliciosamente em total falta de controle. </p><p>O guerreiro sentiu o corao da fmea pulsando loucamente abaixo dele. Ela estava </p><p>ruborizada. Ele sentiu os calafrios que a percorreram e foi prisioneiro da urgncia de esfregar-</p><p>se contra seu suculento corpo. No lhe importava estar dbil e ferido. Estava cego a tudo </p><p>exceto s sensaes e aos desejos de seus pensamentos instintivos. </p><p>Elijah no era um estranho para as mulheres. </p><p> De fato, as desfrutava imensamente, mas isto era algo muito notvel. Nunca tinha </p><p>reagido to fortemente, to rpido a uma fmea antes. Exceto, talvez, uma vez anterior. Mas </p><p>tinha recusado dar importncia pelo que era usando como desculpa o calor da batalha. A s </p><p>idia disso era totalmente esmagada por que a mulher em questo tinha sido... </p><p>Nesse momento finalmente a reconheceu. </p><p>Os olhos de Elijah empalideceram, igual ao resto dele, enquanto finalmente percebia </p><p>exatamente a quem sustentava sob seu corpo. Por quem era que sentia esta estranha </p><p>necessidade. E quem estava respondendo com inconcebvel reciprocidade o calor e interesse. </p><p>Siena - sussurrou sua mo finalmente abandonando seu pescoo para revelar o </p><p>dourado e negro colar que usava. </p></li><li><p>PR LOGO </p><p>Quem fosse que desejasse conhecer o destino da raa Demnio deve consultar estas profecias... </p><p>... Igual a magia, uma vez mais ameaa o tempo, igual que a paz dos Demnios se dirigir loucura... </p><p>... Viro nesta grande poca as coisas que retornaro a enfocar-se na pureza que a raa Demnio </p><p>sempre desejou. Chegaro o significado e o propsito de nossas leis estritas, que nenhum humano no </p><p>corrupto dever ser prejudicado, que a pacfica coexistncia entre raas dever voltar-se primitiva... </p><p>Extratos da Profecia do Demnio Perdido. </p><p>... fica proibido para qualquer da raa Demnio emparelhar-se com criaturas que no seja seus iguais, </p><p>no de sua natureza, no de sua fora e poder. Essas criaturas inferiores so nossas para proteg-las de ns, </p><p>no para ser violadas em abominao sexual impura. Esta a lei e a vontade da natureza. O co no se </p><p>envolve com o gato, o gato no faz com o camundongo. Quem fosse que rompesse a sagrada verdade dever </p><p>sofrer sob a mo da lei... </p><p>Extrato do Pergaminho Original de Destruio. </p><p>Elijah caiu sobre seus joelhos, agarrando seu peito enquanto o sangue derramava entre </p><p>seus dedos, manchando sua camisa branca com um brilhante carmesim. Olhou para baixo ao </p><p>florescente quadro de sua essncia vital derramando-se sobre o tecido, quase com fascinao </p><p>que d ao estender os artsticos crculos sobre uma camisa tinta. </p><p>O guerreiro Demnio estava surpreso. </p><p>Tinha sido ferido repetidamente em sua centenria vida. Certamente isto no era </p><p>estranho para ele. Tudo, da mstica eletricidade de malvadas espadas feitas do brutal, ardente </p><p>ferro, que era to txico para sua raa, tinham-no cortado de uma forma ou outra no tempo. </p><p>Algumas feridas tinham sido suficientemente srias para deixar cicatrizes apesar de seus </p><p>notveis e inatos poderes de cura, algumas no o tinham feito. Mas nunca tinha sido ferido de </p><p>uma forma que poderia considerar mortal. Mortal para outros no era mortal para ele. Mortal </p><p>para o Demnio mdio tampouco era mortal para ele, se, s por seu teimoso rechao a </p><p>sucumbir a uma coisa to pattica como a morte. </p><p>Entretanto, neste caso, no era simplesmente porque um oco o percorresse atravs de </p><p>seu peito, muito prximo s funes vitais de seu corao, por que sua vida estava em perigo, </p><p>se no porque estava na metade de um nada, muito fraco para chamar por ajuda e rodeado </p><p>adiante e atrs por inimigos. Inclusive, se pudesse de algum jeito encontrar resistncia para </p></li><li><p>sobreviver esta penetrante intruso em seu corpo, estes inimigos no lhe permitiriam viver </p><p>mais do que queriam faz-lo. </p><p>Elijah esteve subitamente furioso consigo mesmo por terminar com este ferimento. Ele </p><p>era o Capito dos guerreiros Demnios, o exrcito de elite, ordem e chamada do grande Rei </p><p>Demnio. Ele era o lutador mais hbil da raa Demnio, um Nightwalker conhecido por suas </p><p>incrveis habilidades de batalha. Ele tinha vivido todos os sculos de sua vida honrando suas </p><p>habilidades, aprendendo tudo o que teria que saber a respeito da batalha, guerra, armas e </p><p>estratgias requeridas para triunfar nessas situaes. Jacob, o Demnio Executor e seu grande </p><p>cavalheiro, Noah, o Rei Demnio, eram os nicos que tinha considerado como seus iguais em </p><p>batalha. Ele no se suporia to estpido para cair inclusive, na melhor armadilha, incapaz de </p><p>ser superado uma vez cativo em dita armadilha. </p><p>Inclusive, sem treinamento, todos os Demnios de Terra eram essencialmente bestas </p><p>prontas para a batalha. Acreditava nisso era sua filosofia pessoal e fortemente sentia que </p><p>no importava o quo forte fosse capa de civilizao dentro de sua raa, ou dentro dos </p><p>indivduos, havia instintos que no podiam ser negados. Seguro, os Demnios pareciam </p><p>humanos, entretanto, mais altos e bronzeados que a mdia, mas eram considerados </p><p>extraordinariamente atraentes quando estavam em crculos humanos. </p><p>Elijah sabia isso porque a gentica elementar animal dentro deles lhes permitiam liberar </p><p>feromonas que chamavam o sexo oposto, um sentido predador de conscincia que exsudava </p><p>perigo e uns olhos extraordinrios por trs dos quais se adivinhavam a astcia e inteligncia. </p><p>Todas as qualidades dos caadores naturais, sempre colocadas sob a superfcie, esperando por </p><p>algum para fazer presos a si mesmos. Os Demnios eram capazes de comportamentos to </p><p>agrestes como os elementos dos quais tomavam seus grandes poderes, comportamentos que </p><p>tinham tomado e integrado em cada habilidade que cultivavam em suas longas vidas, fazendo-</p><p>os formidveis oponentes para aqueles que conseguiam ficar nos lugares malignos. </p><p>Entretanto, inclusive o mais jovem dos novatos pudesse ter evitado seu ferimento atual, </p><p>o pensamento do guerreiro o atravessou. Ento estar cativo como isto, como um dbil </p><p>camundongo em uma armadilha era vergonhoso e o fazia rabiar. Como havia o ato de cumprir </p><p>seu dever, de repente, se voltado contra ele? Ele era o Capito Guerreiro, o guia de todos os </p><p>Nightwalkers com um preo sobre sua cabea, para aqueles que no eram da raa Demnio, </p><p>quem tinha cometido atos egregios1 e pecados contra o povo Demnio, um desafio direto e </p><p>insulto para o Rei Demnio. Ele era o especialista em todas essas espcies, um estrategista </p><p>antroplogo. Se algum desejava conhecer as verdadeiras maneiras de como destruir </p><p>Vampiros, Licntropos e a maioria de outras espcies do Nightwalker, Elijah seria a melhor </p><p>fonte de informao. A guerra e a paz eram, infelizmente, coisas transitivas, e era seu dever </p><p> 1 1 Ilustres ou insignes. (N.T.) </p></li><li><p>estar preparado para todas as possibilidades, no caso de que amigos se convertessem em </p><p>inimigos ou inimigos ameaassem a amigos. </p><p>Elijah lutou para despojar-se da capa de diminuio da conscincia e os giros de seu </p><p>redor imediato. Era ele, sozinho quem pertencia cabea dos exrcitos de seu monarca </p><p>quando era necessrio e quem deveria treinar os espies e assassinos quem devero deslizar </p><p>entre as ocultas sombras na frente de ameaadora intriga. Entretanto, sabia tudo que algum </p><p>pudesse descobrir atualmente sobre os humanos, quem tinha cado nas perversas artes da </p><p>magia negra. Do mesmo tipo que agora estavam a seu redor, circulando-o como vultos, </p><p>esperando o ltimo suspiro da vtima. </p><p>O uso destes corruptos poderes tinha convertido a estes idiotas humanos, homens e </p><p>mulheres, em nigromantes, manchando sua alma com a colorida semente do mal e cheirando </p><p>com uma fetidez to grande para dentro de sua pele, que nenhum Nightwalker com a alma </p><p>limpa podia suportar respirar seu aroma. Eram poderosos, capazes de crescer, inclusive, mais, </p><p>quanto mais e mais, estudavam e praticavam suas vis artes, mas no eram o suficientemente </p><p>preparados para captur-lo, nem pensar mat-lo. No, somente sua estupidez poderia lhes </p><p>haver dado essa oportunidade. </p><p>Deveria luzir como um peru em dia de festa, irrompendo atravs da linha de rvores e </p><p>caindo em sua armadilha. Os nigromantes o rodearam,bem como os caadores humanos, que </p><p>passaram o tempo caando mitos para poder tortur-los e mat-los. Mortais. </p><p>Que levou a si mesmo, no s a descobrir a existncia e localizao das ocultas raas do </p><p>Nightwalkers, mas sim fizeram sua busca pessoal para erradic-los do planeta armados com </p><p>algo mais que mitos, lendas e ignorncia. </p><p>Os Demnios eram uma das raas menos expostas do Nightwalkers na mitologia </p><p>humana, mas espcies como os Vampiros e os Licntropos no tinham tanta sorte. Histrias </p><p>deles abundavam, j fossem exatas ou no, alimentando o vido caador a empal-los, </p><p>procurando por uma prova e vindicao pessoal, ocasionalmente tendo sorte em suas buscas </p><p>sedentos de sangue. Para o caador, era uma vitria, um trofu mental. Somente mental. O </p><p>corpo de um Nightwalker morto deveria freqentemente luzir um pouco diferente de um </p><p>humano assassinado, ento no era exatamente um desses tesouros que um caador pudesse </p><p>montar em sua parede e contar histrias sobre isso. Pelo menos, no a ningum fora de sua </p><p>prpria sociedade secreta de chamados heris. </p><p>Estava tornando-se muito comum ultimamente encontrar as cinzas de Vampiros </p><p>deixados ao sol, Licntropos que foram disparados e empalados com armas de prata que os </p><p>envenenava e inclusive Demnios feridos por armas feitas do abrasador, e desfigurante ferro. </p><p>Isso era, obvio, quando os Demnios no eram convocados dentro da mutilante destruio </p></li><li><p>das armadilhas de pentagramas postas pelos nigromantes. Assassinato detrs de assassinato </p><p>insensato e entre estes dois grupos de humanos a lista de vtimas deveria seguir. </p><p>Era uma dolorosa traio. Os Demnios sempre tinham tido os humanos mortais em </p><p>grande estima, muito parecida com a forma como um pai protege seu pequeno filho em </p><p>desenvolvimento. Eles e os outros Nightwalker civilizados protegiam ferozmente esses </p><p>humanos, talvez instintivamente, tendo sabor de pesar de que no tinham poderes por si </p><p>mesmos, ao deix-los crescer e desenvolver-se, eles algum dia o fariam. Seria uma formosa </p><p>evoluo para ver nos prximos sculos. Apesar de que a raa Demnio sabia que havia uns </p><p>poucos mortais que pensavam danific-los, ainda doa amargamente. E agora com caadores e </p><p>nigromantes unindo foras, o perigo duplicou para todos. </p><p>Triplicado, pensou o guerreiro secamente. </p><p>Elijah sabia que estava prximo morte nesse momento, com esse pensamento. O </p><p>guerreiro dentro dele nunca se permitiria a reflexo durante uma batalha que requeresse toda </p><p>sua ateno. Mas esta batalha estava de tudo menos terminada, ento deixava a ele uns </p><p>poucos preciosos segundos para reconciliar os pensamentos em sua cabea. Parecia irnico </p><p>que estes mal informados humanos fossem quem veriam a destruio de poderosas raas que </p><p>tanto tinham temido, no deveriam sentir-se ameaados pela magia negra com a que agora </p><p>comungavam. Qual, perguntava-se Elijah, em suas mentes, seria a distino? Que fazia um </p><p>Demnio, nascido e bento dos limpos e formosos elementos da Terra, to repreensveis para </p><p>esses humanos? E ainda assim, a envolvente magia negra que corria nos nigromantes estava </p><p>de repente sendo laureada e aceita nos mesmos grupos? </p><p>Era to simples como o fato de que o mortal humano mdio era muito propenso a </p><p>multiplicar-se por mescla de raas, em seu evolutivo sexto sentido, particularmente para sentir </p><p>ou cheirar a maldade inata? Estavam igual a uma raa de meninos que no tinham o instinto </p><p>de determinar o bom do mau, o correto do incorreto em um puro nvel intuitivo? Certamente, </p><p>no momento que entrou no lugar no tinha sabido de seu engano enquanto eles dominavam e </p><p>invadiam, mas, no havia antecipao de tudo neles? </p><p>Elijah no tinha estas respostas e parecia que no as encontraria no que ficava de vida. </p><p>Depois de cinco sculos, centenas de batalhas e milhares de vitrias parecia que a to </p><p>nomeada imortalidade de Elijah estava a ponto de chegar a um desenlace definitivo. </p><p>Finalmente tinha puxado o tigre equivocado pela cauda. </p><p>Ou deveria dizer tigresa? </p><p>Elijah levantou seus escuros olhos verdes, cheios de malcia e conteno para seus </p><p>atacantes, que estavam orgulhosamente paradas em sua derrota. Os caadores e nigromantes </p><p>que o rodeavam eram todas mulheres, parte de uma seita de mulheres da qual os Demnios </p><p>se precaveram recentemente. O que queimou suas emoes com a intensidade de um fogo </p></li><li><p>selvagem, entretanto era a presena das duas mulheres Demnios que se elevavam frente </p><p>dessas assassinas foras femininas. </p><p>Traidoras. </p><p>A Demnio direita, que era conhecida para ele como Ruth, era uma Demnio Mental </p><p>muito poderosa. De fato, ela tinha sido a primeira mulher nascida desse elemento to jovem, </p><p>que tinha existido na cultura Demnio por s apenas uns quinhentos anos. Ela era uma Anci, </p><p>antigamente um membro do Grande Conselho, quem tinha ajudado das razes da sociedade </p><p>Demnio e a lei em muitos, muitos anos. A magnitude de sua traio era imensurvel. Elijah </p><p>apenas podia imaginar o conceito em sua mente. </p><p>Apesar de que ela era a maior das duas, sua juvenil aparncia era comparvel a de sua </p><p>filha, a chamada Mary, quem permanecia prxima a ela. Devido...</p></li></ul>